Estudantes debatem violência contra as mulheres

Compartilhe

No final do mês de maio, um crime ocorrido no Rio de Janeiro chocou a todos. Uma adolescente de 16 anos afirmou ter sido estuprada por 33 homens, que, além de cometerem tal barbaridade, tiraram fotos, filmaram e publicaram nas redes sociais. O caso estimulou mais uma vez o debate acerca das questões de valorização e respeito à figura da mulher, e a urgente necessidade de acabar de uma vez por todas com a cultura do estupro, alimentada em muitos casos por um machismo consolidado e internalizado na sociedade. O estupro coletivo da adolescente de 16 anos trouxe novamente o debate entre aqueles que culpam a vítima pelos abusos sofridos, e entre todos que lutam cotidianamente para a desconstrução de concepções tão arraigadas.

Estudantes de uma turma de 9º ano, sob a orientação do professor Márden de Pádua (História) deram seu recado: posicionaram-se contra a cultura do estupro e contra a violência à mulher. Com isso, o estudo da História não se limita apenas ao conhecimento do passado e, sim, de como fazemos história cotidianamente através de nossos atos de cidadania e posicionamento perante a sociedade.