Parlamento do Reino Unido quer cobrar por uso de copinhos de café

Compartilhe

Uma medida anunciada no Reino Unido pretende mudar o hábito de milhões de britânicos. A ideia é que os copinhos de café tenham o mesmo destino das sacolinhas plásticas dos supermercados. O correspondente Pedro Vedova mostra os detalhes dessa mudança, que pode servir de inspiração para outros países.

Um em cada cinco britânicos vai a cafeteria diariamente. Esse mercado vai crescendo e o desperdício também. O Reino Unido descarta 2,5 bilhões de copinhos por ano.

A Comissão de Meio Ambiente do Parlamento concluiu que o consumidor britânico é enganado. O copinho é reciclável, mas em apenas três centros em todo o Reino Unido. A média de reciclagem de só um em cada 400. O problema está no plástico que isola o líquido quente do papel. É difícil separar a fina camada. A maioria dos copinhos acaba entupindo aterros ou é incinerada.

Uma alternativa é parar e apreciar o café numa loja invés de carregar lixo por aí. A outra, são copinhos reutilizáveis. As grandes cafeterias de Londres oferecem desconto para quem traz um de casa. Só que essa informação não é tão conhecida e apenas 2% dos consumidores carregam o seu copinho por aí.

Se não foi por bem, que tal por mal? A Comissão Parlamentar sugeriu que o governo cobre 25 centavos de libra, perto de R$ 1, para quem usar o copo descartável. Um café custa na média R$ 2,50.

Seria como o que aconteceu com as sacolinhas nos mercados. Um estudo mostrou que a taxa convenceria um em cada três consumidores a mudar de hábito. Significaria até 750 milhões de copos a menos nas lixeiras todos os anos.

A taxa também arrecadaria quase 500 mil libras. Esse dinheiro seria usado para construir centros que façam essa reciclagem.

Um inventor tem uma solução mais simples. Uma tecnologia que permite que o plástico se separe facilmente do papel. Ele garante que é o mesmo gosto, tudo igual.

A comissão quer que todos os copos sejam verdadeiramente recicláveis até 2023 e sugeriu a proibição dos que não forem depois dessa data.

O governo vai considerar as recomendações. O ministro do Meio Ambiente já mudou de hábito. A esperança é que um copinho de café faça os britânicos acordarem para ao desperdício.

 

FONTE: g1.globo.com